24 de junho de 2016

5 motivos para assistir Jane the Virgin

Um domingo à noite, o tédio leva uma pessoa a fazer exatamente o que? Isso mesmo, entrar na Netflix e começar uma nova série! E foi assim que maratonei cinco episódios em uma noite de uma das minhas novas séries favoritas: Jane the Virgin!

Petra, Abuela, Michael, Jane, Rafael, Xiomara, Rogelio

Jane the Virgin conta a história de Jane, uma mulher de 23 anos que mora com sua mãe , Xiomara, e sua abuela. Quando era criança, fez uma promessa para sua avó que só faria sexo depois do casamento. Mas aí, por conta de um erro médico, ela acaba sendo inseminada artificialmente em uma consulta ginecológica. E o pai da criança? Nada mais nada menos do que um cara que era seu crush, chamado Rafael, e que agora é seu chefe! Ah, eu já disse que ele é casado com uma mulher chamada Petra? E que Jane é namorada de Michael? Quer coisa mais deliciosamente novela mexicana (falo mexicana por ser nosso padrão de “novela latina”, ok?) possível? Hahahaha!

Não ficou convencido só com a sinopse? Então vem ver essa lista com cinco motivos que vão te fazer assistir a Jane the Virgin agora!

Inspiração nas novelas latinas
Para começar, Jane the Virgin é baseada em uma novela venezuelana chamada “Joana la virgen”. Então não à toa, a sinopse da série é totalmente feita do bom e velho dramalhão mexicano, hahaha! Por isso, em seu roteiro, a série brinca muito com o fato das novelas mexicanas serem extremamente exageradas e, convenhamos, um pouquinho bregas. Muitas das situações poderiam ter saído diretamente de uma novela do SBT! Tem de tudo, desde romance, comédia, vingança até máfia e empurrão de escada... Além disso, Jane, sua mãe e sua avó são viciadas em uma telenovela chamada “The Passions of Santos”, então são várias as vezes que a personagem principal se vê imaginando sua vida como um pedaço da ficção. Aliás, sua telenovela favorita começa a ter um papel muito importante em sua vida. ;)


O narrador
Em todo episódio temos a narração de um latin lover, que nunca mostra seu rosto e, ainda assim, é um dos melhores personagens da série inteira! Ele nos acompanha durante os episódios, comentando cenas engraçadas ou constrangedoras e, além disso, vários escritos aparecem na tela, como se o narrador estivesse escrevendo seu roteiro ali, explicando ou brincando com algum fato. Ele é muito engraçado!



O elenco e personagens
O que me leva a dizer que não existem personagens ruins. O elenco é simplesmente maravilhoso, eles sabem trazer exatamente o que a série precisa. Não é a toa que Gina Rodriguez (Jane) levou o Globo de Ouro de melhor atriz de comédia no ano passado, após somente NOVE episódios irem ao ar. Sim, Jane the Virgin foi a primeira série da CW a levar um prêmio!



Abordagem de assuntos sérios
Em uma série onde a personagem principal fica grávida acidentalmente, é claro que o tema aborto seria comentado. Não só esse, mas outros temas mais sensíveis também aparecem, como a avó que está ilegal no país, a mãe de Jane que era apenas uma adolescente quando a teve e a criou sozinha, religião, sexualidade... Todos são comentados sempre com muito respeito e de forma leve. É legal ver que a série, apesar de ser de comédia, consegue levantar questões sem tornar as coisas um grande tabu.


A família Villanueva
A série foca em Jane e seus dilemas: ela é uma virgem grávida, confusa sobre com quem deveria ficar (#TeamRafael) e como vai fazer com sua carreira quando o bebê nascer. Mas ela não seria nada sem sua mãe e sua abuela. Quer dizer, as três não seriam nada umas sem as outras. Fica claro com o passar da série que o mais importante da história é o relacionamento entre as três, cada uma com sua personalidade, que só acrescentam para essa família maravilhosa. ♥


+ Bônus: toda telenovela tem um triângulo amoroso!
Aqui o triângulo é formado por Michael, Jane e Rafael! Para quem você torce? #TeamRafael

#TeamMichael

#TeamRafael

Com duas temporadas (a primeira está disponível na Netflix), é impossível não amar Jane the Virgin, cheia de revelações, reviravoltas e eventos dignos de uma Usurpadora ou Maria do Bairro, hahaha!

O que você achou da série? Já assiste? Não esquece de me contar nos comentários!

20 de junho de 2016

Nova York – Brooklyn Heights Promenade e Brooklyn Bridge Park

Caí de amores pelo Brooklyn. E sim, de forma totalmente acidental. Sabe aquele passeio que você coloca no seu roteiro sem grandes pretensões e ele acaba te surpreendendo tanto, bem como se tornando um dos dias favoritos que você passou pela cidade? Foi exatamente o que aconteceu comigo e esse local!

Tudo começou ao ver este post do blog Starving, no qual a Mandy cita alguns lugares para conhecer no DUMBO, um dos bairros do Brooklyn. Como estava indo com o boy e já conhecíamos a cidade, quis colocar passeios diferentes e ele foi super a favor desse. E ainda bem!


Para chegar lá, fomos de metrô em Manhattan até a estação Fulton Street e esperamos pelos metrôs A ou C, pois a gente queria descer na estação High Street, que fica no DUMBO. Enquanto explorávamos o local, chegamos totalmente sem querer na Montague Street, que nos levou a um dos locais mais lindos do dia, o Brooklyn Heights Promenade, uma área para você caminhar e apreciar a vista dos prédios de Manhattan.


Brooklyn Heights é o bairro mais antigo e um dos mais rycos do Brooklyn e suas casas são tombadas pelo patrimônio da cidade. Muita gente famosa vive por ali, como Lena Dunham.


Ficaria feliz só com uma janelinha, hahaha

Imagina morar em uma dessas casinhas e todo dia, ao acordar, dar de cara com essa vista?

Uau né?

Além disso, é possível ver a Lady Liberty no extremo esquerdo, te dizendo olá ao longe.

Hello there!


do lado direito, podemos ver a linda e maravilhosa Brooklyn Bridge (que terá um post só dela <3) e o Brooklyn Bridge Park, que foi para onde nosso passeio continuou. Andamos pelo Promenade, sempre em direção à Brooklyn Bridge e pegamos o caminho em direção ao parque, onde ficamos ainda mais próximos desta vista incrível.


Consigo ficar horas olhando!

Lindo demais, não é? É um ótimo lugar para passar um tempo, só aproveitando o momento (e a vista!).

Brooklyn Bridge e Manhattan Bridge


Uma palavra para definir o passeio: apaixonante.

E você, o que achou do local? Gostaria de visitar? Já conhece? Me conta nos comentários!

17 de junho de 2016

Assassinato no Expresso do Oriente – Agatha Christie


“Nada menos que um telegrama aguarda Hercule Poirot na recepção do hotel em que se hospedaria, na Turquia, requisitando seu retorno imediato a Londres. O detetive belga, então, embarca às pressas no Expresso do Oriente, inesperadamente lotado para aquela época do ano.
O trem expresso, porém, é detido a meio caminho da Iugoslávia por uma forte nevasca, e um passageiro com muitos inimigos é brutalmente assassinado durante a madrugada. Caberá a Poirot descobrir quem entre os passageiros teria sido capaz de tamanha atrocidade, antes que o criminoso volte a atacar ou escape de suas mãos.”
Finalmente posso dizer que li algo escrito pela romancista mais vendida do mundo, a “rainha do crime”, Agatha Christie! Minha amiga Stella é viciada em suas histórias e sempre disse para eu dar uma chance aos livros, pois iria gostar bastante. Então, depois de muita insistência por parte dela e de um empurrãozinho de um grupo que participo no Facebook (além de uma bela promoção no Submarino), adquiri “Assassinato no Expresso do Oriente”. Neste livro fui introduzida ao famoso detetive Hercule Poirot, principal personagem de diversas histórias escritas por Agatha. Um homenzinho belga e brilhante, famoso por suas façanhas e alguém muito querido por diversos leitores.

O livro “Assassinato no Expresso do Oriente” é divido em três partes. A primeira se chama “Os Fatos”, enquanto a segunda é “Os Testemunhos” e a terceira “Hercule Poirot Para e Pensa”.

A história da primeira parte começa com Poirot indo embora da Síria, após resolver mais um caso. Ele pretende viajar até Istambul e ficar alguns dias por lá, a passeio. É claro que seus planos mudam quando, ao receber um telegrama, fica sabendo que precisa partir para Londres. É aí que sua aventura a bordo do Expresso do Oriente se inicia.


Durante a segunda noite de viagem, acontece o assassinato de um dos passageiros e o diretor da companhia de trem, amigo de longa data de Poirot, lhe pede que solucione o crime.

Na segunda parte, é na qual a história realmente começa a ficar interessante. Os passageiros dão seus depoimentos a Poirot e são tantas pessoas, tantas pistas, tantos acontecimentos... Parecia que eu estava jogando a partida mais difícil do mundo do jogo “Detetive”, hahaha! Sério, minha cabeça deu um nó!

Por fim, a terceira parte foi a que eu fiquei mais impressionada com a autora. Quando Poirot conta quem, quando e o motivo... Juro, fiquei de boca aberta. Muito impressionada com a criatividade da autora e com a inteligência de Poirot. Queria ter 2% daquele cérebro, hahaha!

Olha, Agatha Christie me surpreendeu. Pensei que não fosse gostar de seus livros, pois minha estante é feita basicamente de chick-lits e YA. Livros policiais passavam longe, mas agora terão seu próprio cantinho por aqui.


Com “Assassinato no Expresso do Oriente” conheci uma autora que consegue escrever uma história que, de início, parece meio lenta e, tenho que confessar, chata. O livro não me cativou desde a página um. Tive que ler alguns capítulos e realmente entrar de cabeça na trama. Foi a sensação de estar jogando “Detetive” (meu jogo de tabuleiro favorito) que me ganhou. Isso e como Agatha fez para fechar a história, que é completamente criativa e surpreendente. Sério, eu mal terminei de ler e fui gritar no WhatsApp com minhas amigas que já tinham lido, não conseguia acreditar naquele final!

Gostei tanto de “Assassinato no Expresso do Oriente” que quero ver o filme, lançado em 1974 e ler muitos outros livros da Agatha Christie. Já tenho dois aqui em casa me esperando (e que terão resenhas depois, lógico!).

A edição que comprei foi lançada pela Editora Nova Fronteira e sou só amores. Possui capa dura e a ilustração é linda! Sério, fiquei desejando todos os livros lançados pela editora. E essa coroa em cima do nome da Agatha na lombada? Queen of crime indeed.

Se posso dizer uma coisa para vocês é: leiam este livro. É uma ótima introdução ao mundo de Agatha, sendo um de seus livros mais famosos. E olha, não é a toa que ela é conhecida como “Rainha do Crime”.



ISBN 9788520934784
Editora Nova Fronteira
Páginas 198
Título original Murder on the Orient Express
Autora Agatha Christie

E você, já leu algo escrito por Agatha Christie? Qual seu livro favorito dela? Me conta nos comentários!

15 de junho de 2016

Yolo – um cachorro-quente diferente no Rio de Janeiro

Começo o post fazendo uma pergunta simples, que com certeza vocês sabem responder: duas pessoas que amam comida saem tarde da noite do cinema. O que elas resolvem fazer? Comer, é claro! Hahaha! Eu e o namorado resolvemos acalmar as lombrigas da fome no Yolo, um local que abriu recentemente em Botafogo, na qual o mestre da casa é o cachorro-quente!



O cardápio é bem simples e fácil de entender. Existem as sugestões da casa ou você pode simplesmente montar o seu cachorro-quente da maneira que quiser! É só escolher uma entre as salsichas viena, vegana ou cordeiro e adicionar quantos toppings quiser! São 15 opções diferentes para você montar seu hot-dog personalizado, dentre eles: cebola frita, salsa de tomate, cheddar, guacamole, bacon crocante e chilli.

Cardápio (também existe o cardápio traduzido para inglês)

Eu, chata que sou para comer, fui em um cachorro-quente com salsicha viena e queijo cheddar (e choro pensando que deveria ter pedido também farofa de nachos, deve ficar tão delicioso). Já o boy optou por um com salsicha viena, cebola frita e maionese sriracha (maionese com alho e molho levemente picante). Não precisa nem perguntar se a gente gostou, né? Simplesmente amamos! Gente, que coisa maravilhosa, nunca tinha comido algo do tipo.

Meu cachorro-quente

Cachorro-quente do boy

Uma coisa muito legal é que a embalagem abre na lateral, então você não se suja para comer. Imagina pegar com a mão um cachorro-quente cheio de coisa em cima? Desastre na certa!

Como se não tivéssemos comido o suficiente, pedimos também a sobremesa, chamada Larica, que simplesmente é um brownie com brigadeiro e caramelo salgado. Amor eterno, amor verdadeiro.


Fora isso, se você gosta de chopp, pode pedir o Monstro Pilsen, um chopp artesanal exclusivo da casa. Caso não queira, ainda tem as opções de cerveja, refrigerante, ice tea ou água.


O atendimento foi super rápido (fomos por volta da 1h30 da manhã de um sábado) e o pessoal lá é super simpático! Gostei muito do ambiente, com um neon que fala exatamente o que eu senti lá dentro:

Hahahahahaha!

O Yolo fica localizado na Mena Barreto, 100. Funciona de segunda à sábado, nos seguintes horários: segunda (18h às 00h); terça, quarta e quinta (18h às 1h); sexta (18h às 2h); e sábado (19h às 2h).

E aí, quem se animou para provar? Me conta nos comentários!

10 de junho de 2016

5 coisas para fazer neste Dia dos Namorados

Não sei se vocês perceberam, mas a semana inteira no Dani Que Disse foi sobre o dia mais amor do ano! Na segunda-feira, tivemos um post com um mooonte de ideia legal de presentes, que ainda era possível enviar, como quem não quer nada, para o boy (ou girl) magia. E na quarta-feira, foi a vez de uma lista super legal com vários filmes da Netflix para assistir na data.

Hoje, na reta final do tempo que falta para o Dia dos Namorados (já é domingo!), resolvi trazer uma lista com várias ideias do que fazer neste dia, independente do local que você more. ;)


Jantar romântico
Dentro ou fora de casa, vocês escolhem. Se vocês são do tipo que não conseguem cozinhar nem um miojo com ovo e preferem sair para comemorar a data, saiba que a melhor coisa é tentar deixar o restaurante reservado. Pelo menos aqui no Rio fica impossível conseguir uma mesa nos restaurantes considerados ~românticos~. Já se um de vocês for uma espécie de Master Chef, que tal procurar uma receita legal na internet e preparar junto? E vocês ainda podem misturar com o próximo tópico da lista, que é...


Netflix & video-game
Quem não gosta de assistir a um filme legal, do ladinho da pessoa que ama? Aproveita o friozinho e se joga no sofá com um belo prato de brigadeiro e um super balde de pipoca. E, se vocês gostam de uma competição saudável, que tal jogar algo no vídeo-game? Garota, se você diz que não gosta, talvez hoje seja a hora de dar uma chance! Quem sabe você não encontra um novo hobby?


Cinema
Que tal ver algum dos filmes que estrearam na semana? Tem um terror maravilhoso, para caso vocês não sejam do tipo que gosta de filme romântico. Mas caso sejam, fiquei sabendo que em várias cidades está rolando a pré-estreia de “Como Eu Era Antes de Você”, de quinta-feira até domingo, se você quer muito ver essa história linda, por que não no Dia dos Namorados?


Fazer um piquenique
Aproveitem que o Dia dos Namorados esse ano cai no domingo e façam algo diferente, um piquenique! Preparem a cesta com comidas e bebidas gostosas, levem uma toalha que possa ser estendida no chão (pode usar até uma canga de praia) e uma mantinha pequena caso esteja muito frio. Nada como passar uma tarde super diferente, comendo e bebendo com seu amor, né?


Dar uma volta ao ar livre e fazer uma trilha
Se for um domingo lindo de sol, por que ficar dentro de casa? Aproveite para sair um pouco de casa e passear sem rumo, só aproveitando a companhia um do outro. Se vocês forem dois aventureiros, que tal fazer uma trilha? Aposto que vão amar!


Saiba que, independente do que vocês dois fizerem hoje, o mais importante é estarem juntos para comemorar esse dia lindo e especial do amor. Feliz Dia dos Namorados, pessoal! ♥

Design e Programação: Danielle S. | Tema base por Bia Rodrigues | Copyright © 2014-2015